Archive for November, 2010

Definição do elenco Alvinegro para 2011

Com a temporada 2010 praticamente finalizada e com apenas um modesto objetivo cumprido, é hora de acelerar o planejamento para o próximo ano. E tal planejamento, que ficará a cargo de Alexandre Kalil, Eduardo Maluf e Dorival Júnior passa pelas dispensas e contratações. Uma coisa precisar ser prioridade para o Atlético no próximo ano: formar um elenco, ou pelo menos ter 90% dele pronto já em janeiro.

Por diversas vezes vivenciamos situações onde foi muito mais difícil consertar o avião em plano vôo. Ou seja, não adianta tentar trazer alguns jogadores em janeiro e outros em agosto na esperança de que se jogue onze jogadores dentro do campo e achar que eles jogariam como um time em um passe de mágicas. Pasme que essa era a idéia de Luxemburgo e que grande parte da torcida acreditou. Após a derrota por 2×1 para o Internacional, ainda pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro disse no Twitter que o objetivo do Galo seria permanecer na Série A para que em 2011 o time ganhasse entrosamento e força, uma vez que diversos jogadores chegaram no decorrer do ano e não havia tempo hábil para treinamentos. Muitos me xingaram na época, mas no futebol não existe mágica. É preciso treinamento e entrosamento para um grande time se formar.

O atual elenco Alvinegro possui diversos jogadores de qualidade, mas em outras posições é carente. Desta forma, irei expor a minha opinião sobre as dispensas que deveriam ser feitas e em que posições o Atlético deveria tentar se reforçar.

DISPENSAS

Aranha, Fábio Costa, Diego Macedo, Rafael Cruz, Fernandinho, Fabiano, Joédson, Jackson, Jheimy

EMPRÉSTIMO / VENDA (se nenhuma das duas possibilidades acontecer, devem permanecer no elenco)

Werley, Cáceres, Jairo Campos, Jataí, Alê, Mendez, Ricardo Bueno

JUNIORES (devem ser observados pelo Dorival. A partir disso definido se eles compõem o elenco ou se devem ser emprestados para ganhar experiência. De preferência a uma equipe de médio porte, como Marcos Rocha foi emprestado ao América.)

Sidimar, Diney, Bernard, Diego, Marion, Wescley

 

Diante disto, acredito que o Atlético precisaria da contratação de 1 Goleiro (reserva para Renan Ribeiro); 2 Laterais (um direito e um esquerdo tops de linha); 1 Zagueiro (top de linha para atuar ao lado do Réver); 2 Volantes (top de linha); 1 Atacante (veloz, para atuar ao lado do Tardelli). Desta forma, o elenco do Galo para 2011 ficaria da seguinte forma:

 

GOLEIROS

Renan Ribeiro

Paulo Victor

CONTRATAÇÃO

 

LATERAIS

Marcos Rocha

Leandro

CONTRATAÇÃO

CONTRATAÇÃO

 

ZAGUEIROS

Réver

Werley

Lima

Cáceres

Campos

CONTRATAÇÃO

 

VOLANTES

Zé Luís

Serginho

Alê

Mendez

Felipe Soutto

CONTRATAÇÃO

CONTRATAÇÃO

 

MEIAS

Ricardinho

Diego Souza

Renan Oliveira

Wendel

Nikão

 

ATACANTES

Tardelli

Obina

Berola

Daniel Carvalho

CONTRATAÇÃO

 

Concorda? Discorda? Opine!

Força, Galo!

Advertisements

Que comece a operação 2011 no Galo!

O ano de 2009 terminou de forma melancólica, mas as esperanças logo foram renovadas graças à contratação de Vanderlei Luxemburgo, que trazia consigo um projeto grandioso. Entretanto, o papel aceita tudo, ou seja, na teoria dito projeto era magnífico, o que não se mostrou na prática. Felizmente, para a Massa, havia um Neymar no caminho, que ao ser o estopim da demissão de Dorival Júnior no Santos, criou a oportunidade para que Alexandre Kalil efetuasse a troca de treinadores. Este treinador pegou um elenco rachado, desmotivado, cheio de jogadores no departamento médico, praticamente entregue e fazendo as vezes de treinador e psicólogo conseguiu reverter um quadro tenebroso e quase irreversível.

A trajetória de Luxemburgo no Galo contou com diversos erros, que de maneira nenhuma podem ser repetidos em 2011. Primeiro, uma comissão técnica deveras exagerada, que não só onerou a folha de pagamento alvinegra, como também gerou mal-estar entre os profissionais que já trabalhavam no Atlético. Segundo, por várias temporadas a diretoria Atleticana vem assistindo seus rivais se reforçarem e montarem seus elencos já em janeiro, enquanto o Galo demora a se reforçar em posições carentes no seu elenco. Assim, é preciso que diretoria e comissão técnica trabalhem já no início do ano, de forma que tenhamos um elenco já estruturado em janeiro e não tentar consertar o avião em pleno vôo. Terceiro, não se deve dar superpoderes a nenhum treinador, quem quer que ele seja. Quarto, não se deve permitir que entre no elenco jogadores protegidos dos técnicos, uma vez que estes não sairão do time, mesmo em má fase técnica. Meritocracia já! Quinto, diretoria e comissão técnica precisa ter pulso firme em relação a baladas de jogadores, o que ocorreu em excesso este ano. Sexto, mas não menos importante, devem ser contratados reforços pontuais, para as posições carentes do elenco e estes jogadores devem ser de primeira linha, que cheguem e joguem. Para completar o elenco é preferível usar as categorias de base a trazer jogadores que não estão mais interessados em serem jogadores profissionais.

O aproveitamento espetacular de Dorival Júnior deixa um alento que 2011 possa ser melhor do que o ano de 2010. Mas a torcida quer mais que um alento. Quer que o melhor CT do Brasil, o melhor diretor de futebol, o treinador mais vitorioso deste ano se traduzam em resultados positivos. Graças o trabalho duro e sério de Dorival Júnior, uma tragédia foi evitada e 2010 já ficou para trás. Agora é momento de alívio para a torcida, e tão apenas isto, pois 2011 já vem virando a esquina.

Força, Galo!