Archive for January, 2011

O técnico pediu e o presidente atendeu. Agora é com você, Dorival!

Quando finalmente o Campeonato Brasileiro de 2010 se encerrou para o Atlético, o clamor da Massa era geral para que o elenco deste ano fosse montado antes do início da pré-temporada, uma vez que em diversas ocasiões assistimos ao mesmo filme: os mandatários alvinegros com discursos prontos de política pés no chão, apostando em refugos de outras equipes e em maio, pouco antes do início do Brasileiro, havia a constatação de que as apostas foram erradas e que novas contratações chegariam para a disputa nacional. Ora, é muito mais complicado arrumar um avião em pleno vôo; isto prejudica não só o entrosamento do time, como também coloca em xeque o técnico da equipe, que tem pouco tempo para demonstrar resultado e quase sempre acaba demitido, sucumbindo à pressão. O pedido da torcida foi endossado pelo técnico Dorival Júnior, de que o perfil da equipe deveria ser mudado e que queria contar com 95% do elenco de 2011 já em janeiro.

Pois bem, se nosso presidente não foi perfeito nas contratações, fica a certeza de que o esforço foi máximo tanto da parte de Alexandre Kalil, quanto do competentíssimo diretor de futebol Eduardo Maluf, que particularmente considero como o melhor reforço da atual gestão, embora nunca tenha entrado em campo. Vale ressaltar que depois da sua chegada, as informações que raramente vazavam, passaram a ser blindadas quase que a perfeição. Já tínhamos um aparato administrativo satisfatório nas mãos do Kalil, Adriana Branco e Rodolfo Gropen, e a chegada de um diretor com tempo dedicado integralmente ao futebol só veio a agregar valor à administração Kalil. Prova disto é que a instituição Atlético foi elogiada pela Traffic em sua festa de final de ano por ser, ao lado do São Paulo, os únicos clubes a cumprir rigorosamente seus compromissos em dia.

Para a montagem do elenco para este ano, nosso presidente apostou e trouxe jogadores com o perfil que o técnico gosta: versáteis e rápidos. Prova disto foi a chegada de Toró, Richarlyson, Jóbson, Mancini e Magno Alves, que apesar da idade poderá contribuir como um jogador de grupo com sua experiência, bem como Ricardinho, que permanecerá. A zaga foi reforçada com um jogador de qualidade que foi disputado por diversas equipes do futebol nacional: Leonardo Silva. A expectativa é que ao lado de Réver, os gols sofridos diminuam consideravelmente. Outros jogadores contribuirão na composição de elenco, como Wesley, Patric, Giovanni.

Um dos segredos que proporcionaram a contratação de tantos reforços e de maneira ágil foi a não antecipação de receitas, o que era recorrente nas gestões passadas. Isto permite ao clube trabalhar com um orçamento maior e investir mais para vencer concorrências por jogadores, como o caso do Richarlyson e Leonardo Silva. E mais, graças a credibilidade da atual administração, foi possível parcelar a compra dos direitos econômicos de alguns atletlas. Por exemplo, o Galo pagará R$ 1,5 milhão de reais por 50% dos direitos do Richarlyson em 10 parcelas; Um milhão de euros serão pagos ao Benfica por 50% do Patric em 4 anos, ou seja, 250 mil euros por ano. Outro segredo foi o sigilo nas contratações, uma vez que anunciar o interesse em determinado jogador permite ao seu agente inflacionar a negociação e promover o tão odiado leilão. Por fim, o Galo trouxe jogadores que estavam livres no mercado, o que diminui os gastos na hora de contratar.

Acredito que até o início do Brasileiro mais dois ou três jogadores ainda chegarão para qualificar ainda mais nosso elenco, mas podemos afirmar que nosso comandante já tem diversas opções para armar a equipe ao seu gosto e também opções para escalar de acordo com o adversário. O presidente fez sua parte, agora é com você, Dorival!